Exercício Resistido (Musculação) e Hipotensão Pós – Exercício

Benefícios

Os efeitos do treinamento resistido e hipotensão pós exercício, sobre a melhora da condição cardíaca e suas relações, como a pressão arterial, vem ganhando cenário, uma vez que, vários estudos na literatura, demonstram esta melhora, correlacionando com a melhora da saúde e qualidade de vida.

Desta forma, a hipotensão pós exercício resistido, é mais identificada em indivíduos hipertensos, quando comparados a indivíduos normotensos. Segundo Bermudes et. al. (2008), alguns efeitos que podem influenciar uma maior hipotensão pós-exercício, dependem da intensidade, volume, grupo muscular, envolvidos nas sessões de treinos, desta forma agindo beneficamente como um tratamento não farmacológico.

Benefícios que o exercício resistido provoca em nosso organismo são:

  • Menor débito cardíaco (volume sistólico (vs) x frequência cardíaca (fc));
  • Menor Hiperatividade Cardíaca;
  • Restauração da sensibilidade barorreflexa, bradicardia de repouso, menor estresse cardíaco quando em repouso e em atividades submáximas.
  • Diminuição da Resistência Arterial Periférica (Liberação de óxido nítrico, lactato, responsáveis pelo relaxamento e aumento do fluxo sanguíneo)

No estudo de Janning et al. (2009), onde participaram 8 idosos, 4 homens e 4 mulheres, em média 62 anos de idades, com hipertensão bem controlada, o objetivo foi analisar a influencia da ordem de execução de exercícios resistidos na hipotensão pós-exercício em idosos com hipertensão arterial bem controlada.

Procedimentos

Os idosos fizeram uma visita ao laboratório, em três dias alternados, para mensuração da pressão arterial de repouso.  Após, realizaram um Teste Máximo de 12 repetições, a fim de se identificar as cargas de treinos nos seguintes aparelhos: 1) supino sentado na maquina; 2) puxada alta anterior; 3) remada alta; 4) leg press 90º; 5) extensão de joelhos; e 6) flexão de joelhos.

Após os teste os grupo foram submetidos a 3 protocolos diferentes, com intervalo de 48h entre os grupos e testes:

Grupo 1: Exercício, primeiro grupos inferiores e depois grupos superiores. Grupo 2: Exercício, primeiro grupo superiores e depois grupos inferiores e Grupo 3: Exercício, alternados, um exercício para grupo superior e outro para inferior.

Todos os exercícios foram realizados em um método de 3 séries de 12 rm, com um intervalo de dois a três minutos entre cada série e exercício. Após cada protocolo a pressão arterial foi verificada em intervalos de 10 minutos, ate 60 minutos pós-exercício.

Resultados

O terceiro grupo, obteve os melhores resultados, quando comparados aos grupos 1 e 2, para hipotensão pós-exercício, quando comparados a média da pressão arterial mensurada em repouso.

No G1, G2 e G3 houve decréscimo médio da PAS durante o período de recuperação de 3,2 ,  4,5 e 11,3 mmHg, respectivamente. Já a PAD apresentou os seguintes decréscimos: 0,5, 4,4 e 4,5 mmHg, respectivamente.

Discussão

Todos os protocolos foram suficientes para provocar a hipotensão pós-exercícios resistido. O protocolo do grupo 3, onde os exercícios foram alternados por segmentos, resultando em  uma maior duração da resposta hipotensiva, desta forma, um dos decréscimos para a pressão arterial, decorre da menor redução de fluxo simpático para o coração e maior liberação de óxido nítrico nas artérias, provocando uma vasodilatação sistêmica, favorecendo a  passagem do sangue por essas vias, ocorrendo um decréscimo na resistência periférica total.

Portanto, neste estudo, os resultados foram satisfatórios, com relação ao programa de exercício resistido e seus benefícios para hipotensão pós-exercício resistido. Encontra-se na literatura, vários outros estudos que descrevem outros métodos de treinos e intensidades, com o mesmo propósito deste estudo, decréscimos e benefícios do exercício resistido para a pressão arterial.

Entretanto, um programa de exercício resistido, específico para estes alunos, pacientes é de suma importância, melhorando sua saúde e contribuindo para uma melhor qualidade de vida, evitando maiores eventos cardíacos, ocasionando mortes indesejáveis.

REFERÊNCIAS

JANNIG, P, R; CARDOSO, A, C; FLEISCHMANN, R; COELHO,C, W;  CARVALHO, T.  Influencia da Ordem de Execução de Exercícios Resistidos na Hipotensão Pós‑exercício em Idosos Hipertensos. Rev Bras Med Esporte. v. 15, n. 5, Set/Out, 2009.

BERMUDES, A,M,L,M; VASSALLO, D,V; ELISARDO, C, V, E,C;  LIMA, E,G. Monitorização ambulatorial da pressão arterial em indivíduos normotensos submetidos a duas sessões únicas de exercício: resistido e aeróbio. Arq Bras Cardiol. v. 82, p. 57-64, 2003.

 

Tire suas dúvidas e saiba mais sobre nosso programa de treinamento.